Connect with us

Hi, what are you looking for?

Sem Categoria

Parler: a rede social que atrai conservadores e extremistas de direita

Parler
Imagem: Divulgação
Parler

Imagem: Divulgação

Afinal, o que é ‘Parler’?

Provavelmente você já se deparou com algum conteúdo que considerou ofensivo, ou no mínimo desrespeitoso, em alguma rede social. E ao mesmo tempo em que vemos um movimento de boicote liderado por marcas globais chamado #StopHateForProfit (Pare de dar lucro ao ódio), que acusa grandes plataformas de mídia social como Facebook e Instagram de serem omissas no combate a esse tipo de conteúdo, vemos também o crescimento de uma nova rede social que promete ser 100% imparcial e garantir sua “liberdade de expressão”. Estamos falando do Parler. 

O Parler foi criado em 2018, pelo programador John Matze, como uma alternativa a essas grandes plataformas sociais, que tem como premissa permitir ao usuário “se sentir livre para expressar seus pensamentos e opiniões, pois a rede não é um órgão regulador, e sim uma grande comunidade”, de acordo com texto contido em sua página principal.  

A moderação de conteúdo é feita com base na Comissão Federal de Comunicações e na Suprema Corte dos EUA, e sugere que os próprios usuários ficarão a cargo de moderar e controlar o conteúdo postado. 

Imagem: Divulgação

Tem uma interface muito semelhante ao Twitter, onde também organiza as principais postagens por hashtags, e permite ao usuário postar conteúdos de até 1000 caracteres – contra os 280 atuais do Twitter – compartilhamento de imagens, vídeos e notícias, porém ainda é uma plataforma modesta e com menos funções que a rede do passarinho azul. 

E o que esperar o futuro?

Com esse posicionamento, a plataforma vem ganhando adeptos da direita e conservadores importantes como o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que criou sua conta no Parler após o Twitter apagar algumas de suas postagens que, segundo a plataforma, continham Fake News e desinformação.

O Parler teve um boom de inscrições após Trump postar que estaria migrando para a plataforma, e hoje no mundo já são cerca 1,7 milhões de usuários, com mais de 700 posts por hora. No Brasil, algumas personalidades de direita já têm suas contas, como o Presidente Jair Bolsonaro, já com mais de 100 mil seguidores, seus filhos, Olavo de Carvalho, entre outros. 

Os apoiadores do presidente, que eram muito ativos no Twitter, estão migrando para o Parler também, subindo suas hashtags em apoio a Bolsonaro, promovendo Jejuns, orações e carreatas em apoio ao bolsonarismo 

É importante monitorar o crescimento rápido dessa rede, mas sabemos que o que faz crescer uma plataforma de mídia social, em grande parte é a receita com publicidade, e, vendo este movimento de grandes marcas pedirem ações mais enfáticas do Facebook contra conteúdo de ódio ou disseminação de fake News, que é gerado pelos próprios usuários, nos leva a questionar se uma rede com regras mais flexíveis terá força para crescer e se consolidar entre as gigantes atuais. Vamos aguardar os próximos capítulos dessa história! 

Por Bruno Ferreira

YouTube (Logo)

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja agora!

Famosos

A cantora Simaria, da dupla Simone & Simaria, usou seu perfil no Instagram para parabenizar seu marido, Vicente Escrig, pelo aniversário de 41 anos. Junto a uma declaração,...

Famosos

O ator Cauã Reymond movimentou as redes sociais nesta quarta-feira (04) ao dividir com os seguidores uma foto de sunga. A imagem foi compartilhada no Instagram....

Famosos

A atriz Sthefany Brito se incomodou com um comentário de um seguidor no Instagram. Tudo começou após ela abrir um espaço interativo de perguntas...

Famosos

Nas últimas semanas, a coach e ex-participante do “BBB” Mayra Cardi tem chamado atenção com sua nova mansão, no interior de São Paulo. Desta...